Campus Party 2008 – 3o Dia

Bom dia galera. Ontem foi um dia extremamente produtivo para quem estava na busca de novos conhecimentos e novidades por aqui.
Na área de desenvolvimento tivemos a segunda parte das aulas de C++ ministradas por Ciro Trindade, de Web 2.0 e Ajax com David Ruiz que apresentou várias frameworks interativas e exemplos da tecnologia que revolucionou a web, programação para jogos com Armando Schiavon.
No BarCamp também me surpreendi com uma sequencia de apresentações rápidas. A idéia dos organizadores era abrir espaço para que os novos e pequenos empresários apresentassem seus projetos e idéias para os investidores locais. O evento organizado por Edson R. Gomes da ZeroUm Digital reuniu apresentações das mais diversas áreas como BLOPIX (aluguel de videos online), Blog Content (blogs corporativos) e Daniel Heise da DirectTalk.
Ainda consegui assistir a uma palestra sobre Python no stand de Software Livre, outra linguagem de programação que vem ganhando mercado e parece bem simples de aprender. A palestra foi ministrada pelo Luciano Ramalho da Simples Consultoria.

Confiabilidade…
Com debates sempre polêmicos e apresentando pontos de vista diferentes, o Momento Telefonica foi palco de um assunto interessante. Participei apenas dos momentos finais mas suficiente para perceber que se tratava da influência da internet sob a personalidade das crianças e do ser humano. Até que ponto a internet pode definir ou influenciar a índole de uma pessoa durante a sua infância?
Os participantes fizeram um comparativo com a sua mãe. “Sua mãe pode lhe ensinar a se tornar um assassino. Não existe confiabilidade no ser humano.” foi a conclusão de um dos participantes, a qual concordo plenamente. Não devemos culpar o conteúdo da internet pela formação das pessoas, pois isso pode ser feito (e em muitos casos, é) de outras formas como através da família.

E quanto à pedofilia? Imaginar que sua filha de 16 ou 14 anos pode se vender para ganhar algum dinheiro. Aí vem dizer que a internet é um facilitador à essas pessoas, e esquecem que ela também é um facilitador para a criança aprender coisas boas, se manter informada sobre coisas que seus pais talvez não instruissem.
“Há 20 anos atrás, a criança de 14 anos casava e tinha filhos. Hoje é considerado pedofilia.” foi a conclusão de outro participante, a qual considero muito verdadeira. Isso sem considerar que nesta época a internet era inacessível, e o acesso à informação muito menos difundido.

Bom pessoal, vou ficando por aqui.
Desculpem o atraso na publicação do resumo de ontem.

Abraços a todos.


Links Relacionados
Blog Content – Blogs Corporativos
DirectTalk
Conteúdo das Apresentações do Desenvolvimento

Compartilhe com os amigos
  • Digg
  • StumbleUpon
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Google Buzz
  • LinkedIn
  • Live
  • MSN Reporter
  • Orkut
  • PDF
  • Reddit
  • Tumblr
Publicidade

1 comentário

  1. Rodrigo disse:

    Way cool story! Some extremely valid points! I appreciate you writing this write-up and the rest of the site is also very good. Thanks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *