10 fatos em 6 dias na Austrália

Como muitos já sabem, recentemente eu e minha esposa saímos do Brasil para viver a vida em Sydney, do outro lado da nossa grande bola azul, e 13 horas à frente do tempo. :)

6 dias se passaram e resolvi escrever aqui as minhas primeiras impressões. É importante ressaltar que estas são as primeiras impressões e são apenas as minhas impressões. Positivas e negativas, certas ou erradas e sem muita pesquisa, aqui vão elas:

  1. Transporte excelente
    Nesses 6 dias tivemos a chance de experimentar transporte público (trem e ônibus). Esses serviços são operados por uma empresa chamada Opal, que fornece gratuitamente um cartão pré-pago que você pode adquirir em vários pontos da cidade. Ônibus e trens são extremamente limpos e confortáveis. Nos ônibus e em muitas estações não existe roleta. Você passa o cartão ao entrar e ao sair, sendo cobrado proporcionalmente pelo trecho utilizado. Até o momento nossas tarifas foram em uma média de AUD 2,90 (equivalente a R$7).
  2. Eles são todos ao contrário
    A Austrália adotou a mão inglesa. Ou seja, o trânsito é todo ao contrário, assim como o lugar do motorista em todos os tipos de transporte. Não rara são as vezes que olhamos para o lado errado ao atravessar. E eu que adoro dirigir, ainda vou levar um tempo antes de tomar coragem e alugar um carro por aqui.
  3. Espresso excelente, mas frio
    Apaixonado por café como sou, já experimentei vários. Todos são servidos em meia xícara, ou seja, são mais curtos e fortes que no Brasil, porém até o momento achei todos os cafés frios ou mornos. Mas o gosto é fantástico. O Australiano se orgulha em dizer (ou achar) que possuí o melhor café do mundo. O preço não é muito diferente do Brasil, mas sem a conversão (AUD 3,50 em média). Melhor ou pior ainda é cedo pra dizer, mas já provei excelentes.
  4. Você paga com celular
    Tentei usar este recurso no Brasil, mas não consegui. Por aqui já é rotina o pagamento com NFC. Ou seja, você só precisa aproximar o celular da maquininha para realizar um pagamento. Uma mão na roda pra gente que abriu conta aqui e ainda não recebeu o cartão do banco.
  5. Abrir conta em banco, Identidade, etc
    Falando nisso, toda a parte ‘chata’ resolvemos em um único dia. Fomos num lugar equivalente ao “Poupa Tempo” daqui, solicitamos nosso ID (identidade), tiramos foto no local, e com o passaporte e AUD52 vamos receber nossa identidade local, que usaremos no lugar do passaporte. No mesmo lugar ainda era possível tirar carta de motorista e outras coisas.
    A conta em banco também foi moleza. Depois que a agência de intercâmbio cuidou da parte chata, só precisamos ir até o banco para ativar a conta e definir uma senha. Bem parecido com o que acontece no Brasil, mas sem taxas (até agora pelo menos).
  6. Segurança: principal motivo pelo qual estamos aqui
    Apesar de ver que eles são preocupados em sair a noite, e ter bons sistemas de segurança nas casas e prédios, assalto por aqui parece não existir. Vimos muita gente mexendo em seus MacBooks e celulares dentro dos ônibus, trens e praças. Hoje eu mesmo atravessei a cidade de ônibus com meu laptop embaixo do braço e o google maps na outra mão sem nenhuma preocupação. Há uma semana isso era inconcebível, inimaginável em nossa rotina no Brasil.
  7. Sydney tem praia. E que praia!
    No primeiro Domingo em Sydney fomos à Bondi Beach, uma praia muito conhecida pelos turistas. E que praia! Ainda podemos almoçar com uma vista espetacular e curtir momentos de frio e calor extremo em cada curva do Bondi to Bronte Coastal Walk.
  8. Aranhas: não vimos, mas elas existem.
    Apesar de não termos tido a honra de vê-las por aqui, não se anda 50 metros em Sydney sem ver uma ou mais de suas obras. Teias de aranha são comuns nas janelas, retrovisores e em qualquer lugar que se possa imaginar. Falta de higiene ou paixão eu não sei, mas aqui em casa não quero nem ver. Por sinal, muitas casas (inclusive a que estamos) usam telas nas janelas para evita-las.
  9. Internet fixa ruim. Móvel é ótima.
    A concorrência de internet móvel e fixa aqui é bem maior que no Brasil. A internet móvel é excelente, e os planos são muito melhores que no Brasil. Por enquanto ainda usamos pré-pago. Pagamos AUD 10/semana por 1 Gb de internet 4G e ligações ilimitadas pra qualquer lugar da Austrália. A concorrência é grande entre as operadoras, e as principais são Optus e Vodafone. Nos planos pós não é difícil ganhar um iPhone com um plano de AUD 80/mês e uma franquia de dados pra ninguém botar defeito.
    Já a internet fixa ou de fibra não chega a todos os lugares, assim como no Brasil. Os preços variam bastante, e ainda não vi nenhum lugar com uma internet que chegue aos pés da que estamos acostumados. Espero que essa opinião mude em breve e eu não leve mais 32 horas pra subir um vídeo no youtube (fato real).
  10. Tem mendigos.
    Sim, a maior cidade da Austrália tem mendigos, e mais do que estávamos acostumados a ver no Brasil. Também tem pichações em alguns lugares, assim como bairros feios em lugares mais afastados. No entanto não tirou nossa sensação de segurança, mas me despertou curiosidade sobre o tipo de preocupação que o governo dá para eles, uma vez que a maioria parece ter mais de 60 anos.

Não seria difícil adicionar mais umas 10 ou 20 curiosidades por aqui, mas eu minha esposa faremos isso num espaço específico que não usamos há algum tempo: o PensandoGrande.com – lá você poderá encontrar mais detalhes e vídeos nossos em breve. ;)

Por enquanto vamos curtindo mais um pouco das novidades e da vida por aqui. Se quiser saber o que vai acontecer amanhã, pergunte pra gente. ;)

Grande abraço e até a próxima.

Compartilhe com os amigos
  • Digg
  • StumbleUpon
  • Print
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Google Buzz
  • LinkedIn
  • Live
  • MSN Reporter
  • Orkut
  • PDF
  • Reddit
  • Tumblr
Publicidade

1 comentário

  1. Não viu aranhas, mas viu cangurus?
    Essa piscina com borda infinita para o mar, está quase se transformando em meu sonho de consumo. rs

Deixe uma resposta para Alzira Noronha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *